Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Profissionais da Saúde de Mogi das Cruzes recebem capacitação sobre Naturopatia

A Secretaria Municipal de Saúde completa na próxima terça-feira (19/12) o curso de Naturopatia voltado para médicos, enfermeiros, agentes comunitários e outros profissionais da Rede Básica. O trabalho faz parte do Programa de Práticas Integrativas e Complementares, iniciativa que agrega alternativas terapêuticas visando o bem-estar físico, mental e a melhoria na qualidade de vida dos pacientes.

O Projeto Farmácia Viva é resultado de uma parceria com médica e diretora científica da Associação Brasileira de Ayurveda, Valquiria Zago Matheus, com a proposta de promover atividades educativas para substituir a automedicação nos cuidados mais simples de saúde. “Valquiria tem observado número crescente de lesões hepáticas e renais decorrentes da automedicação e, preocupada com grande impacto na qualidade de vida dos pacientes, nos ofereceu uma capacitação para que os servidores da Saúde atuem como multiplicadores de orientações na área de Naturopatia”, explica a secretária adjunta de Saúde, Rosângela Cunha.

O curso de Ayurveda começou com informações teóricas sobre Medicina Indiana e evoluiu para aulas práticas sobre uso de plantas, ministrada na Cozinha do Sesi – Serviço Social da Indústria, em Braz Cubas, que cedeu espaço para a capacitação. No encontro, os alunos aprendem a preparar chás e infusões com efeitos digestivo e expectorante, entre outras receitas que utilizam itens básicos e muito comuns em qualquer cozinha.

“São alternativas fitoterápicas para tratar sintomas em fases iniciais com o objetivo de evitar a automedicação e seus efeitos. É claro que, em casos de sintomas mais intensos, o paciente deve procurar o médico ou serviço de saúde”, explicou a médica Valquiria, responsável pela capacitação. Ela lembrou que, além dos efeitos químicos, a automedicação pode mascarar sintomas de doenças, dificultando diagnósticos e tratamentos importantes.

O Programa de Práticas Integrativas e Complementares da Secretaria Municipal de Saúde está avançando por meio de alternativas voltadas para a qualidade de vida dos pacientes. No início do ano, um grupo de profissionais participou da capacitação em Práticas Integrativas e Complementares na Rede Básica de Saúde. O Curso de Formação em Automassagem Chinesa reuniu quatro eixos teóricos e práticos com objetivo de ampliar os cuidados em Saúde Mental. Além de garantir atendimento especializado, as novas práticas contribuem para a triagem e redução da demanda reprimida de pacientes nesta área.


Data de Publicação: 18/12/2017

Fonte: Assessoria de Comunicação CEJAM