Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Distribuição de preservativos continua no pós-Carnaval de São Paulo

O Carnaval de São Paulo vai continuar no próximo sábado (17) e domingo (18). E se tem festa, tem camisinha! O Programa Municipal de DST/AIDS (PM DST/AIDS), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, dará continuidade às ações de distribuição gratuita de preservativos aos foliões. Somando desde o período de pré-Carnaval, nos dias 3 e 4 de fevereiro na capital paulista, a expectativa é que a campanha "Camisinha na Folia" ultrapasse a marca de um milhão e meio de preservativos entregues aos foliões.

"O objetivo é sempre deixar a camisinha a mais acessível possível às pessoas. Estivemos no Sambódromo e em dezenas de blocos de rua para abranger um público cada vez maior e que curte o Carnaval em locais diferentes", diz Cristina Abbate, coordenadora do PM DST/AIDS. "É preciso estar onde as pessoas estão", conclui.

Neste final de semana, haverá distribuição de preservativos nos blocos "Cordão do Jamelão" e "Acadêmicos do Anhembi Morumbi", ambos no sábado, e "Siga Bem Caminhoneira" e "Orquestra Voadora", as duas no domingo.

Além desse trabalho pontual nos blocos, os foliões podem retirar os preservativos nos amplos displays dispensadores de camisinhas, que ficam juntos aos 10 postos médicos instalados pela cidade.

Só no Sambódromo do Anhembi, o PM DST/AIDS colocou à disposição cerca de 200 mil preservativos nas duas primeiras noite de desfile das escolas de samba do grupo especial. A campanha passou também por grandes blocos de rua, como "Sereianos", "Retaleena", "Bloco do Magal", "Domingo Ela Não Vai" e "Acadêmicos do Baixo Augusta", este último com cerca de um milhão de participantes.

PEP
Além da camisinha, os foliões podem contar com a Profilaxia Pós-Exposição (PEP) para prevenção ao HIV em situações de risco de infecção ao vírus (rompimento do preservativo, camisinha saiu etc.).

A cidade de São Paulo conta com cerca de 50 unidades que oferecem a profilaxia, sendo 16 com funcionamento de segunda a sexta, das 7h às 19h, e 33 abertas 24h. Os endereços podem ser conferidos em www.prefeitura.sp.gov.br/dstaids/pep

O coordenador de assistência médica do Programa de DST/AIDS da capital paulista, dr. Robinson Fernandes de Camargo, ressalta, porém, que a camisinha não deve ser dispensada. "A PEP previne apenas o HIV. É preciso estar atento também às outras ISTs e até a uma gravidez não planejada", afirma.


Data de Publicação: 16/02/2018

Fonte: Thiago Pássaro - Programa Municipal DST/AIDS da SMS de SP