Seu email foi confirmado com sucesso!

Para ativar a senha de seu email, favor abrir um chamado no CAS informando a chave #.
Em alguns segundos, você será direcionado para a criação de sua assinatura digital.

X

Sua assinatura digital foi criada com sucesso!

Lhe foi enviado um email com a sua assinatura, juntamente com as instruções para a sua utilização.

Encontro de Aleitamento Materno chega a 10ª edição com informação, debates e experiências bem sucedidas sobre amamentação

O Encontro de Aleitamento Materno realizado  nesta quarta-feira (01/08), no Auditório do Hospital Dr. Moyses Deutsch, por meio da parceria entre o CEJAM, OS Monte Azul e Hospital Municipal Dr. Moises  Deutsch, chega a sua 10ª edição, como um dos mais prestigiados eventos de saúde da região. Sempre provocando a reflexão, o debate e disseminando informações relevantes sobre o incentivo, a necessidade de apoio, as barreiras e as experiências bem sucedidas sobre a amamentação. Profissionais especializados falaram sobre a semana mundial da amamentação, que em 2018, tem como tema: Amamentação é a base da vida!

Após a abertura oficial, que contou com a participação de Dr. Mário Santoro, representando o CEJAM e autoridades da Secretaria de Saúde, do Gabinete da Coordenaria Regional de Saúde Sul e outras, os convidados foram surpreendidos com uma das mais exitosas ações desenvolvidas em nossas Unidades de Saúde: a formatura de Aleitamento dos bebes com amamentação exclusiva até o sexto mês de vida.

O projeto, desenvolvido pela UBS Jardim Guarujá, surgiu como uma estratégia para incentivar o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida do bebê. “A ideia surgiu depois que levantamos indicadores muito baixos de aleitamento materno. Pouco mais de 3% das crianças da região eram amamentadas exclusivamente com o leite materno”, conta Noemi Lopes, gerente na UBS Alto do Riviera.

Na sequência, a nutricionista Viviane Laudelino Vieira falou sobre os principais focos para que a amamentação seja bem sucedida, com a palestra Aleitamento materno e a garantia da segurança alimentar e nutricional. Informação, envolvimento, estímulo são os principais deles. “Ter na amamentação a clareza de esta ser a base que ancora tudo na vida”, disse a especialista em segurança alimentar e nutricional.

Outro tema abordado foi como garantir a segurança alimentar mesmo em tempo de crise. “O desafio é muito grande,  mas a amamentação é uma garantia de segurança alimentar, até pelo menos, os dois anos de idade. Lembrando que a quantidade e a qualidade da amamentação independe da condição nutricional da mulher”, completou.

O evento guardaria um momento de emoção. A Coordenadora do curso de enfermagem do UNASP e enfermeira Vivian Zorzin, apresentou a palestra: Experiência sobre aleitamento materno com crianças da Africa, contando  sua experiência como voluntária em Guiné- Bissau, quinto país mais pobre do mundo e com taxas altíssimas de mortalidade materna e neonatal. “33% das crianças morrem antes dos cinco anos de idade”, contou Vivian. “Fui tudo lá, Minha vida mudou completamente”.


Data de Publicação: 03/08/2018

Fonte: Assessoria de Comunicação CEJAM