Aguarde...

Portal da Transparência COVID-19 - Clique aqui e confira

Saúde

Saúde

19 de Novembro de 2021

No Dia Nacional da Consciência Negra, especialista do CEJAM destaca doenças mais frequentes neste público

Foto: Freepik

Os negros representam mais de 56% da população brasileira, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Por isso, no Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, é essencial destacar a importância dos cuidados com a saúde deste público.

Diabetes, hipertensão arterial, câncer de próstata e anemia falciforme estão entre os problemas com maior prevalência na população negra, que contempla os pretos e pardos.

De acordo com o Dr. Maurício Kucharsky, gerente da Unidade Básica de Saúde Jardim Comercial, gerenciada pelo CEJAM, estas doenças são multifatoriais e apresentam condições hereditárias e genéticas como fatores importantes para o seu desenvolvimento.

“Não apenas o índice das patologias, mas também sua gravidade é aumentada para este público”, explica o especialista.

Saiba mais sobre as principais patologias que afetam este público:

Diabetes

Considerado um dos maiores vilões da saúde nos tempos atuais, o diabetes – principalmente do tipo II – está entre as principais doenças com prevalência em pessoas negras, por conta da hereditariedade – em homens, é 9% mais frequente; e, em mulheres, cerca de 50%, segundo o Ministério da Saúde.

“O fator hereditário é um ponto no qual não podemos atuar. Por isso, é essencial orientar toda a população negra sobre a importância de manter hábitos saudáveis de vida, comoa prática de atividades físicas e uma alimentação balanceada.”

Anemia falciforme

Caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma foice, a doença também tem a hereditariedade como principal justificativa para sua maior incidência em negros.

Segundo o especialista, a única forma de cura para a anemia falciforme é por meio do transplante de medula óssea. Apesar de não evitável, seu diagnóstico precoce possibilita tratamentos que melhoram a qualidade de vida do paciente portador desta doença.

Câncer de próstata

Apesar de não existir nenhum estudo que justifique uma alteração genética, o câncer de próstata é mais comum na população masculina negra, tornando o seu rastreamento e diagnóstico precoce ainda mais importante para este público, conforme o médico.

Diferentemente da recomendação geral, que indica a realização do exame da próstataa partir dos 50 anos, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda o teste a partir dos 45 anos para homens negros, obesos mórbidos e com parentes de primeiro grau que já tenham desenvolvido a doença.

Hipertensão arterial

Apesar de atingir os mais variados tipos de pessoas, a hipertensão arterial se manifesta com maior incidência em algumas etnias, como nos negros. Além da antecedência genética, sua maior prevalência nesta população pode ser justificada por fatores socioeconômicos, segundo o Dr. Kucharsky.

Para evitá-la, o médico indica o baixo consumo do sal, a medição frequente da pressão arterial e a prática regular de atividades físicas, assim como a manutenção de hábitos saudáveis.

Glaucoma

A doença ocular é causada, principalmente, pela elevação da pressão intraocular, que provoca lesões no nervo ótico e, como consequência, o comprometimento visual. Quando não tratado adequadamente, pode levar à cegueira.

Segundo o especialista, além de a ocorrência da patologia ser maior na população negra, ela é a principal causa de cegueira neste público.

“Mas é possível evitá-la e tratá-la por meio de políticas públicas voltadas à atenção primária da avaliação oftalmológica”, ressalta.

Miomas

A incidência de miomas em mulheres negras é maior. E, apesar de considerado benigno, estudos mostram um número maior de intervenções cirúrgicas neste grupo.

“Não podemos evitar o aparecimento dos miomas, mas, assim como as demais doenças hereditárias, é importante que lembremos da incidência aumentada nesta população, frente aos sintomas relatados durante a busca por atendimento de saúde.”

O profissional finaliza destacando que todas estas patologias possuem tratamentos e controles. “Por isso, é necessário consultar um médico frequentemente para a realização dos exames preventivos de rotina e o diagnóstico o mais precoce possível.”

Fonte: Imprensa, Criação & Marketing

Saúde

Compartilhe essa notícia

SEDE CEJAM

Rua Dr. Lund,41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

IRS Dr. Fernando Proença de Gouvêa

Rua Dr. Lund, 41, Liberdade, São Paulo, 01513-020
(11) 3469 - 1818

Prevenir é viver com qualidade!

Prevenir é viver com qualidade!